Nos últimos anos, a prática da meditação, e especialmente a técnica do “mindfulness”, mais direcionada para o indivíduo que está inserido no mundo social e que vive um quotidiano ativo, tem recebido cada vez maior procura por parte de quem pretende diminuir os seus níveis de stresse e alcançar uma maior serenidade de espírito, que o ajude a lidar com os desafios do dia a dia.

Meditative cyclingO foco do “mindfulness” reside no desenvolvimento da atenção ao momento presente (ao Aqui e Agora), com o objetivo de aumentar a consciência pessoal, partindo do que acontece no corpo, passando pelas emoções e chegando ao plano mental. Procura-se cultivar uma atenção intencional e dirigida a tudo o que acontece no momento, sem o julgar, visando o alcance de um maior domínio sobre processos mentais e emocionais, um maior autocontrolo e bem-estar.

Ora, qual a relação entre a meditação ou o “mindfulness” com a bicicleta? O ciclismo é um desporto que exige uma atenção focada no pormenor, desde o próprio velocípede às condições atmosféricas, aos trajetos selecionados e aos tipos de piso que se percorre. Por outro lado, permite, de uma forma única, momentos em que o atleta está a sós consigo e com a Natureza, que é considerada o melhor local para a prática da meditação e para a ligação com o meio em que nos inserimos. Há uma série de reações sensoriais, incluindo a própria dor física, que nos obrigam a estar atentos ao corpo e à sua envolvência.

Assim, o ciclismo representa não só uma oportunidade de desenvolver a atenção e a consciência, como a própria prática da bicicleta, quando realizada com uma maior sintonia com o tempo presente, o corpo e os espaços que atravessa, ajuda a elevar essa experiência a um novo patamar e a maximizar a prestação desportiva.

A notícia já chegou a Portugal, onde vários programas de meditação integram passeios simples de bicicleta, que um profissional do desporto pode aproveitar no seu maior alcance.